Other Languages

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Premier League. Rivais do Chelsea perderam pontos em todas as jornadas



Os blues regressaram aos títulos, um ano após a saída de Mourinho. Nos últimos três anos, o Chelsea conquistou dois campeonatos, reforçando o estatuto na Premier League. 

A conquista do primeiro lugar também surgiu cedo, sendo que, a partir desse momento, nunca mais largaram a posição, nem sequer deram sinais de instabilidade. 

Curiosamente, à medida que o Chelsea ganhava jogos, os restantes concorrentes perdiam pontos, tendo conquistado vantagem em todas as jornadas. No final da temporada, o Tottenham ainda esteve a 4 pontos, mas rapidamente sentiram a pressão de tentar contrariar o favoritismo de uma equipa que começou a tornar-se sólida depois de ter ganho 4-0 em Stamford Bridge frente ao Manchester United com um novo sistema de três defesas centrais. 

O campeonato continuou emocionante, mas a partir do segundo lugar. A luta pela presença directa e indirecta na Champions contou com os dois clubes de Manchester, Arsenal e Liverpool. A força dos reds caiu nos últimos jogos, tendo sido aproveitado pelo City de Pep Guardiola. O treinador espanhol ficou abaixo das expectativas na temporada de estreia. O mesmo aconteceu com Mourinho, mas o treinador português conquistou a Supertaça, Taça da Liga e ainda a Liga Europa.

Durante a temporada ainda se pensou que o Leicester podia lutar pelos lugares europeus. O problema é que o campeão chegou ao final da primeira volta mais perto da despromoção. A saída de Ranieri só surgiu depois da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões contra o Sevilha. A entrada de Craig Shakespeare deu um novo ânimo aos jogadores. Vardy começou a marcar golos.

A próxima temporada conta com os mesmos candidatos ao título, sendo que, o Leicester também pode voltar a lutar por lugares mais ambiciosos. O regresso do Newcastle  à Premier League é uma boa notícia. 

La Liga. Real Madrid não saiu do primeiro lugar, mesmo jogando com as segundas linhas


O campeonato espanhol teve bastante animação durante a temporada, mas o Real esteve mais tempo à frente do Barcelona.

Os merengues tiveram algumas fases em má forma, com particular destaque para o início do ano, mas raramente foram ultrapassados pelo grande rival. 

O jogo chave do campeonato foi a visita do Real a Camp Nou onde o empate manteve as duas equipas distanciadas por cinco pontos. A vitória catalã no último minuto no desafio do Bernabéu ainda colocou pressão, mas Cristiano Ronaldo fez uma grande ponta final que afastou qualquer hipótese de perder a primeira posição.

A inteligência de Zidane na gestão do plantel para atacar o campeonato e a Champions League também merece ser realçada. O desejo de conquista do 12º título europeu não podia sobrepor-se à vitória na liga interna, pelo que, em muitos jogos, o Real utilizou a segunda linha. Nalguns jogos, o treinador alterou 11 jogadores, correndo enormes riscos como se verificou no empate em casa frente ao Las Palmas. 

No final, Zidane conquistou o título espanhol e pode entrar na história como o primeiro treinador a conseguir dois títulos europeus consecutivos, alcançando o mesmo feito para o clube, já que, nenhuma equipa ganhou a Champions duas vezes seguidas. 

A oposição do Barcelona contou com o trio MSN, mas também com a boa forma de André Gomes, que apareceu rejuvenescido na parte final da temporada. 

A luta pelo título não contou com o Atlético Madrid. A formação colchonera esteve uns furos abaixo daquilo que era esperado, tendo mesmo o terceiro lugar ameaçado por um super Sevilha que ainda sonhou com o título. Os andaluzes dignificaram a competição, prometendo voltar em força na próxima época, mesmo sem Jorge Sampaoli no banco. 

Eredivisie. Feyenoord esteve sempre no topo da classificação


O Feyenoord consagrou-se campeão da Holanda, dezoito anos depois do último título, o que significa o primeiro campeonato conquistado no século XXI. 

A tarefa da equipa de Roterdão parecia estar facilitada tendo em conta as prestações em nove jornadas, onde não perdeu qualquer ponto. Nas duas rondas seguintes, perdeu quatro pontos, mas depois manteve a forma habitual. 

A formação de Giovanni Von Bronckhorst nunca saiu da primeira posição, embora tenha sido ameaçada várias vezes pelos principais rivais, em particular pelo Ajax. O título só foi garantido na última ronda porque uma derrota inesperada frente ao Excelsior permitiu à equipa de Amesterdão sonhar mais uma semana. Apesar de alguma irregularidade, o Feyenoord manteve-se no topo porque tinha a equipa mais experiente, embora com poucos talentos. O ataque é o ponto mais forte devido às presenças de Toornstra, Kuyt, Jorgensen e Elia. O avançado dinamarquês foi o goleador de serviço juntamente com o histórico Kuyt. Por seu lado, Elia encantou com as inúmeras assistências, sobretudo pelo lado esquerdo, para os homens que estavam na área do adversário. 

O Ajax ainda deu luta, mas a juventude cometeu alguns erros, mesmo assim conseguiu ficar à frente do bicampeão PSV. 

A má campanha de Feyenoord e PSV nas competições europeias revela o estado em que se encontra o futebol holandês, cuja única esperança de desenvolvimento passa pela formação do Ajax, que alcançou a final da Liga Europa.

Liga Europa. Manchester United conquista troféu pela primeira vez

FINAL 

Ajax 0 Manchester United 2

Golos: Pogba, Mkhtaryan

O Manchester United não teve de se esforçar muito para conquistar o troféu pela primeira vez e entrar no restrito clube dos vencedores das duas competições da UEFA. 

A estratégia de Mourinho assentou que nem uma luva na jovem equipa holandesa que não teve espaço para assustar a débil defesa inglesa. Os dois lances do golo surgiram em situações inesperadas, como aconteceu no ressalto em Sanchez ao remate de Pogba e o tento de Mkhtaryan proveniente de um canto.

O pragmatismo funcionou em pleno porque o meio-campo composto por Fellani, Pogba e Ander Herrera impediu a construção de jogo por parte de Davy Klaasen, sendo que, Schones não teve a bola nos pés. 

O ímpeto atacante da duas equipas ao longo da prova não se verificou, pelo que, assistiu-se a um mau jogo, pouco condizente com as exigências de uma final. 

O treinador português alcança os objectivos traçados a meio da temporada porque vai regressar à Liga dos Campeões. O quarto troféu europeu da carreira também é o terceiro na temporada de estreia ao serviço dos red devils.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

UEFA Europa League Final


As duas equipas merecem estar na final da prova, já que, completaram todas as fases, o que não aconteceu nos últimos anos com o Sevilha.

As formações tiveram comportamentos distintos na fase de grupos. Os ingleses terminaram em segundo atrás do Fenerbahce, tendo apenas garantido a passagem às eliminatórias no último jogo contra o Zorya. A derrota contra o Feyenoord no início da caminhada complicou as contas. Os holandeses eliminaram Celta de Vigo, Standard Liege e o Panathinaikos sem qualquer problema. 

Os papéis inverteram-se na segunda fase, já que, o United conseguiu resultados tranquilos frente ao St.Etienne, Rostov, Anderlecht e Celta de Vigo. O desafio em casa frente aos galegos acabou por ser o mais complicado, além da viagem à Bélgica. Nesta fase, Ibrahimovic e Rashford foram as principais estrelas. 

O Ajax teve algumas complicações a partir dos 16-avos-de-final. Na primeira eliminatória, empatou em casa do Légia, tendo ganho na Arena de Amesterdão por 1-0. Na ronda seguinte, a derrota em Copenhaga parecia terminar com o sonho, mas uma boa exibição garantiu a passagem. O pior estava para vir nos quartos e meias-finais. A juventude holandesa teve de defrontar Schalke 04 e Lyon, jogando a primeira mão em casa e a segunda no terreno do adversário. Nos quartos, ganhou tranquilamente o primeiro jogo por 2-0, embora a deslocação a Gelsenkirchen tivesse corrido mal durante 90 minutos. Os alemães igualaram a eliminatória, tendo-se colocado em vantagem na primeira parte do prolongamento, além de jogar com mais um devido à expulsão de Veltman. No entanto, a persistência possibilitou dois golos suficientes para ganhar a eliminatória e não apenas empatar. O mesmo filme verificou-se nos jogos contra o Lyon. Uma soberba exibição no Arena garantiu 4-1, mas o Lyon ganhou fama pelas recuperações em casa. Os franceses forçaram mas só marcaram três golos e nem sequer empataram a eliminatória porque o Ajax também marcou em França. 

No terreno vão estar duas equipas completamente diferentes no estilo de jogo e na experiência, embora a ausência de Ibrahimovic se tenha sentido nos últimos jogos do Manchester United. Os holandeses contam com os melhores jogadores, mesmo que a juventude possa cometer erros que serão aproveitados por jogadores mais matreiros como Rashford, Rooney e Mata.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Major League Soccer. Fagundez marca dois grandes golos

12ª jornada

New England Revolution 2 Columbus Crew 1

Golos: Diego Fagundez 2 - Ola Kamara

A vitória dos anfitriões assenta na exibição de dois jogadores fundamentais. O avançado Diego Fagundez marcou dois golos, sendo que, o segundo é uma arrancada individual fantástica, mas a jogada do primeiro também não fica atrás. O segundo jogador determinante no triunfo foi o guardião Cody Cropper por ter efectuado uma grande defesa aos 77 minutos que garantiu os três pontos.

A reviravolta de New England não condiz com o lugar que ocupam na tabela. A formação de Columbus adormeceu à sombra da vantagem, embora tivesse durado apenas quatro minutos. 

Na segunda parte, a qualidade das duas equipas baixou significativamente porque nenhuma quis assumir o controlo da partida. Apesar da derrota, os visitantes continuam em posição de acesso ao play-off na Conferência Este. 

Brasileirão. Primeira parte de luxo garante mais uma vitória

2ª jornada

Atlético Mineiro 1 Fluminense 2

Golos: Gabriel - Richarlison, Henrique Dourado

O Flu conquistou uma vitória importante no terreno do Atlético Mineiro. Os golos nasceram todos no primeiro tempo, sendo que, na segunda parte houve algumas situações perigosas para os anfitriões. 

A vantagem dos visitantes aconteceu num período de maior equilíbrio, mas a qualidade de Henrique Dourado e Richarlison fizeram a diferença. O antigo jogador do Vit.Guimarães marcou o primeiro e assistiu o colega de equipa no segundo. 

O Fluminense conseguiu evitar alguns contra-ataques do Mineiro devido à cobertura de Wendell. Os anfitriões raramente construíram situações, apesar da entrada de Maicosuel no segundo período.